Follow by Email

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sem luz.


E de repente tudo fica escuro.

Vem aquela coisa que sufoca o peito, que machuca... Sabe?

Fere, corta. É difícil dar adeus a quem se ama. E mais difícil é fingir, pra você e pra outros, que está tudo bem. Não está bem. Não vai ficar bem. Pare com essa ilusão de que “tudo vai passar”. Não vai. Você sabe disso, e eu sei também.

Sempre tive medo dessa coisa que chamam de amor. Aprendi a fugir de tudo, e de todos, porque era o que eu fazia de melhor... E era a minha forma de proteção.

E eu fugi tanto, de você, de nós, e no caminho que seguíamos, eu corria pra longe de tudo que me tocava na alma. Porque eu tinha medo. É, covardia mesmo, eu sei...

E nesse caminho, nessa fuga, me perdi e te perdi.

E você, que era quem clareava o meu trajeto, desistiu de tentar iluminar. Fica escuro. Eu não lhe culpo, sabes?

Só que eu tenho tanto medo do escuro... E é triste, entende?

Porque a luz se apagou. A nossa luz.

Quando se perde algo que era teu, dói mais do que nunca ter tido. E esse é o problema. Te tive, e por instantes, me completei, e ficava tudo bem.

E agora, fica esse vazio. Grande vazio.

E fica tudo escuro...Tão escuro. E dói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário